Café da manhã

Um beijo louco, cheio de tesão. E do beijo na boca ela desceu beijando meu pescoço, meus mamilos, minha barriga, e deu uma mordida leve em minha virilha antes de abaixar minha cueca. Eu estava tendo um daqueles sonhos molhados e eu não queria acordar… mas acordei.

Ela tem a boca quente, engole meu pau até o fim, e ainda consegue massagear de leve minhas bolas com a ponta da língua. É, ela é malabarista do boquete, a melhor delas. E sonhar com ela é sempre o mesmo tesão de quando a gente fode. Eu acordo louco, já a abraço de um jeito todo nosso e ela capta minha mensagem corporal com a mesma rapidez de um motor que chega de 0 a 100 Km/h em 3 segundos. Só que desta vez, quando acordei, ela não estava do meu lado. Foi aí que entendi que o sonho se misturou com a realidade, e a louca estava me chupando mesmo. Que foda!

Quando abri meus olhos e vi aquela imagem logo ali, na minha frente e também refletida no espelho do teto, ela de quatro e bunda deliciosamente empinada na ponta da cama, me chupando e olhando curiosa na minha direção – acredito que para ver qual seria minha reação ao acordar -, senti que meu pau ficou ainda mais duro, sorri safado e fiz um carinho em seus cabelos. Caminho livre, garota, pode seguir adiante.

Ela alternava movimentos, velocidade e pressão, mantendo meu tesão a todo o vapor. A língua deslizava, quente e molhada, na cabeça da minha rola, causando pequenos choques que percorriam todo o meu corpo. Se eu conseguisse, deixaria ela me chupar por muito, mas muito tempo antes de gozar, mas acho que deu uns 10 minutos e me explodi em prazer, gozando naquela boca deliciosa, urrando feito um homem das cavernas. Ela engoliu literalmente a porra toda, continuou me chupando mais devagar, mais devagar, até parar de vez. Foi quando a campainha do nosso quarto tocou. Ela olhou radiante para mim, e com um sorrisão, disse “Nosso café chegou, vou lá pegar. Estou morrendo de fome!” Danada, tinha calculado o tempo certinho de me acordar!

E enquanto ela seguia na direção da nossa refeição, eu olhava faminto para aquela raba perfeita e para aquela cinturinha fina, e tudo o que eu conseguia pensar era no que eu ia comer depois do desjejum.

Anúncios

Um pensamento sobre “Café da manhã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s